Nascimento da Cecília – Filme e Relato de Parto

Um relato lindo e um filme cheio de amor e emoção na chegada da segunda filha da Isabela Mundie!
Um parto para ressignificar o amor, para renascer e multiplicar seu coração de mãe!
E tem um bônus especial da trilha sonora ter sido feita especialmente para este momento.
Tem vídeoclipe produzido pelo compositor do @amusicadasuavida
Tá uma lindeza, uma canção feita especialmente para a história da sua família.
Quando a Isa enviou a música meus olhos se encheram de lágrimas só de imaginar no quanto essa trilha com significado ficaria incrível com o vídeo.
Então, aperta o play pega uns lencinhos e vem ler esse relato lindo!Eu sou só gratidão por registrar momentos tão delicados e intensos, pela confiança e pela partilha generosa.
Isa muito obrigada, que sua família siga sempre unida, feliz e amorosa!

Nascimento da Cecília – Parto Domiciliar Planejado

 

Há uma semana você nasceu. No nosso tão sonhado parto domiciliar.
Tudo começou no dia 12.06.2018, quando eu e seu pai ficamos especulando quando você ia chegar.
Sentimos que estava próximo e aproveitamos que era dia dos namorados para ir na consulta com as parteiras e de lá, fomos direto para o cinema.
Sua irmã ainda colaborou e nós conseguimos passar algumas horas namorando, conversando e fazendo exercícios na bola de pilates (pela primeira vez, rs!).
Tudo isso acabou resultando em algumas contrações bem leves, mas que me deixaram em estado de alerta. Antes de dormir, ainda mandei mensagem para a nossa doula deixando ela avisada de que as coisas poderiam engrenar na madrugada, e fomos dormir.
Essa noite, sua irmã só acordou às 5h00 para mamar (🙏🏻), então eu amamentei ela e senti que as contrações pegaram ritmo e se tornaram mais dolorosas. Com o histórico de parto a jato da sua irmã, às 06:00 já liguei para a doula, que chegou às 07:00 e já me enfiou debaixo do chuveiro para aliviar as dores. Quando eu vi, já estava toda a equipe em casa: parteiras, fotógrafa, videomaker e eu sem entender nada, porque normalmente a equipe completa só é acionada na fase ativa do parto.
Logo me acendeu uma luz e eu imaginei que já estivesse bem avançado o trabalho de parto.

Esse parto foi muito diferente do da sua irmã. No dela, eu sofri demais, pensei em desistir, pedi analgesia, cesárea, pelo amor de Deus para aquilo acabar.
Foi muito intenso, muito doloroso e eu não estava preparada para aquele turbilhão que estava acontecendo com o meu corpo.
Dessa vez, além de já ter a experiência passada, eu queria sentir tudo aquilo.
Eu esperei ansiosa para o começo do trabalho de parto, chamei em silêncio cada contração, orei agradecendo enquanto as coisas estavam acontecendo e o mais lindo: me conectei com você.
Eu pensava a cada instante que você estava chegando, que eu finalmente ia ter você em meus braços e isso foi lindo e especial, filha.
Eu estive racional e consciente durante todo o trabalho de parto, diferente do da sua irmã, que eu fui para a partolândia várias vezes.
Até dividi esse sentimento com a doula, que brincou que a gente dá a luz do jeito que a gente é, e que se eu era controladora na vida, assim eu também seria no parto.
E aquilo me aliviou demais, me deixou tranquila de que as coisas evoluiriam na medida em que eu conseguisse avançar as etapas, racionalmente mesmo, do jeitinho que eu sou.

A parte do expulsivo foi, sem dúvida, a parte mais difícil. Foi a parte que me deu medo, que eu senti que aquilo era real e que talvez eu não fosse capaz de parir você.
Seu pai me incentivava a toda hora, a Mari (doula) acariciava o meu peito e a Leticia (parteira) me pedia para ter coragem. E foi isso que eu tive, filha, coragem para trazer você ao mundo de forma humanizada e respeitosa. Ali, você nasceu.
E quem te pegou pela primeira vez foi seu pai, que emocionado, te segurou por longos minutos até eu estar pronta para finalmente te abraçar. É estranho, mas logo que você nasceu, eu não consegui te pegar no colo de imediato.
O parto foi tão intenso que eu precisei de alguns minutos para poder me recuperar e conseguir abraçar você. Até me desculpei, porque sabia que você precisava de mim, mas logo veio a emoção e eu consegui te segurar no colo.

Quando eu te peguei nos braços, tudo fez ainda mais sentido. Eu nem sabia que você me faltava. Nem sabia que ser sua mãe preencheria ainda mais o meu coração. Que benção que é ter vivido tudo isso ao seu lado, filha. Que bom ter a vida inteira pela frente para dividir com você. Obrigada por ter me escolhido, obrigada por ter segurado a barra e atendido aos meus pedidos. Esse parto me fez (re)nascer como mãe. Tivemos nossa primeira experiência com a amamentação ali mesmo, na banqueta de parto, debaixo do chuveiro da nossa casa.

E assim nascemos como família. Esses sorrisos nos nossos rostos só demonstram o quanto o parto tinha sido perfeito e o quanto estávamos realizados em ter você ali. Mas nem tudo saiu exatamente como esperávamos e depois de uma hora que você tinha nascido, eu precisei ser transferida para o hospital por retenção placentária. Essa era uma consequência que nós já sabíamos que poderia ocorrer e estávamos todos preparados para isso. Por isso, optamos por, naquele momento, deixar você aos cuidados da equipe (para evitar qualquer procedimento desnecessário no hospital) enquanto eu passava por cirurgia. Essa parte foi bem ruim, filha. Mil vezes mais doloroso do que o parto em si. Mas o que me aliviou foi que durante toda a cirurgia, todos mandavam notícias de você, me assegurando que você estava bem e em segurança, já no colo do seu pai, aguardando somente acabar a cirurgia para eu poder te ver.
A cirurgia foi super rápida e logo você já entrou para me ver na sala de recuperação, aonde eu te amamentei por horas na companhia do seu pai.
Dormimos lá essa primeira noite (com a sua irmã agarrada em nós duas) e no dia seguinte, já estávamos em casa para curtir em paz a nossa família.
Você tem sido maravilhosa, um espetáculo de bebê, assim como a sua irmã era.
Mas minha recuperação tem sido mais lenta do que eu esperava, ainda sinto dores, e por conta da hemorragia, estou anêmica e extremamente cansada.
Isso tem deixado as coisas um pouco mais difíceis e até agora, eu tenho nos poupado um pouco (e nesse meio tempo, tenho aproveitado para te namorar bastante).
Só faz uma semana que você nasceu, mas eu sinto que você já foi minha a vida inteira.
E foi assim que tudo aconteceu.

Ps. Você nasceu de 38+3, no dia 13.06.2018, às 09:05 (outro parto a jato, rs), no dia de Santo Antônio, com 3.530kg e 49cm ❤

Equipe

@mamatotoparteiras

Doula

Mariana Amoroso